@conecta_news

Vibra (VBBR3) compra 50% da ZEG Biogás e prevê até R$ 412 mi para novos projetos

A Vibra Energia (VBBR3) anunciou nesta segunda-feira que assinou um contrato para aquisição de 50% do capital social da ZEG Biogás e Energia, empresa dedicada a soluções de biogás e biometano para substituição do uso do gás natural convencional e outros combustíveis fósseis, como óleo diesel e GLP.

A operação envolve um aporte primário de 30 milhões de reais, no fechamento da operação, e uma parcela secundária de 129,5 milhões de reais, segundo comunicado.

A Vibra também se comprometeu com aporte de até 412 milhões de reais no negócio nos próximos anos para execução de novos projetos de biogás e biometano, dos quais 206 milhões de reais seriam referentes à sua participação de 50% e os outros 206 milhões de reais seriam aportados em nome dos demais sócios.

O acordo prevê ainda opções de compras futuras do capital da ZEG Biogás pela Vibra, a valor de mercado.

Na primeira opção, a companhia pode ser titular de 70% do capital social da empresa e, na segunda, ser titular da integralidade das ações.

A ZEG Biogás, subsidiária da ZEG e FSL, é pioneira na oferta de soluções ambientalmente vantajosas e comercialmente viáveis para a produção de biometano —biocombustível renovável equivalente ao gás natural– em aterros sanitários e com resíduos de produção de etanol, óleo de palma e de suco de laranja.

A empresa comercializa biometano com a marca Gasbio e tem potencial de atingir uma produção de mais de 2 milhões de metros cúbicos por dia em até cinco anos.

Segundo as empresas, o acordo aproveitará sinergia entre a capacidade de produção e comercialização de biometano da ZEG Biogás e a infraestrutura logística da Vibra, que detém mais de 18 mil clientes corporativos e uma rede de 8,3 mil postos de combustíveis em todo país.

O negócio vai permitir, por exemplo, que as mais de 300 usinas de etanol pertencentes a 60 fornecedores da Vibra tenham acesso a uma solução ambientalmente adequada para a vinhaça (resíduo da produção do etanol), “com a possibilidade de alavancar novas receitas, além da melhoria na produtividade do solo”.

“Essa parceria está totalmente alinhada ao reposicionamento da Vibra, que já iniciou sua trilha com a ambição de desempenhar papel relevante no apoio à transição energética e descarbonização das suas atividades e de seus clientes”, afirmou o CEO da Vibra Energia, Wilson Ferreira Jr, em nota.

A efetiva conclusão da operação estará sujeita a determinadas condições precedentes, incluindo a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Fonte: Reuters

Compartilhar:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Publicado por:

Últimas Notícias

Fique por dentro

Cadastre-se em nossa Newsletter

Não enviamos spam, apenas informações relevantes.

Leia Mais

Postagens Relacionadas

Lula diz que pretende tornar permanente auxílio de R$ 600

O ex-presidente e pré-candidato ao Palácio do Planalto Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, em entrevista ao jornal Correio Braziliense publicada nesta terça-feira, que pretende tornar permanente o auxílio de 600 reais às famílias de baixa renda. “Eu quero manter. O PT queria que o auxílio fosse de 600 reais já em 2020. Bolsonaro

Congresso aprova R$ 202,5 milhões para recompor despesas de pessoal

O Congresso Nacional aprovou o Projeto de Lei (PLN) 9/22, que abre crédito suplementar de R$ 202,5 milhões no Orçamento da União para recompor despesas primárias obrigatórias de pessoal e encargos de 17 órgãos federais. A proposta segue para sanção presidencial. Os recursos vêm de superávit financeiro apurado no balanço patrimonial de 2021, do cancelamento

PepsiCo diz que salgadinhos e bebidas podem ficar mais caros

A PepsiCo elevou a projeção de receita para 12 meses nesta terça-feira e disse que pode aumentar ainda mais os preços nos próximos meses, com a companhia vendo pouco impacto na demanda por seus refrigerantes e salgadinhos, apesar da inflação mais alta em décadas. Por volta de 11h, as ações da empresa subiam 0,4%, para

Congresso aprova crédito extraordinário de R$ 1,2 bi para Plano Safra 2022/23

O Congresso aprovou nesta terça-feira, 12, a abertura de crédito suplementar de R$ 1,2 bilhão para linhas do Plano Safra 2022/2023 com taxas de juros equalizadas pelo Tesouro. O projeto vai agora para sanção do presidente Jair Bolsonaro. Os recursos para a linhas de crédito do Plano Safra virão da reserva de contingência, que é